segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Meu Coração Bate Por Missões

visitem o blog abençoado de nosso querido e amado irmao Fabio Jose Lima

A Porta Estreita

Lavando o Coração.

Lavando o Coração.

Tenho notado não só na blogosfera cristã, mas, também, entre alguns membros de igrejas evangélicas, um certo ódio no coração ao falar, comentar ou tomar conhecimento de algum deslize de pastores e líderes evangélicos, como desvio de dinheiro, falsas doutrina, escândalos sexuais, e tantas outras coisas que sabemos que sempre existiram e sempre existirão em nosso meio, mas o objetivo do post não é trazer mais um escândalo ou comentar um já existente, o que quero comentar é o comportamento dos receptores e comentaristas das notícias sobre os escândalos, comportamento carregado de ódio, que, segundo o Evangelho de Cristo, é um comportamento errado.
Em primeiro lugar, devemos ter em mente que o Evangelho de Jesus é baseado no amor, independente do que seja feito contra nós, devemos amar nosso semelhante. Certa feita Jesus ensinando deu uma palavra que vem bem a calhar neste momento que está registrada em Lucas 6.27: Mas eu digo a vocês que estão me ouvindo: Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam (Nova Versão Internacional).
Nos últimos tempos, principalmente com a ajuda da internet, tem se proliferado no mundo inteiro notícias de escândalos envolvendo líderes de denominações evangélicas, o que leva ao povo, deste segmento religioso, a ter diversos comportamentos e opiniões sobre tais notícias, formando alguns grupos, vejamos:
O primeiro grupo, é formado por aqueles que não querem saber, preferem não tomar conhecimento, dizem que não acreditam e que isso é invenção do inimigo, que está se levantando contra a Igreja do Senhor, e por ai vai.
O segundo grupo que, apesar de não sair caçando notícias desta natureza, tem conhecimento de boa parte do que está acontecendo no meio evangélico, sabendo dos escândalos, porém sem mantém neutro, muitas vezes apenas comenta, sem intenção de denegrir pessoas ou denominações, alguns destes chegam a orar a Deus para que as coisas se resolvam e que os envolvidos possam se arrepender de seus pecados, para que possa ter, novamente, comunhão com Cristo.
O terceiro grupo, formado por aqueles que têm conhecimento dos fatos, sabem que os mesmos são verdadeiros e preferem que tudo seja abafado, alegando que tudo não passa de um mal entendido, que as coisas não são bem assim, fazendo isto, culposa ou dolosamente, sob o argumento de “não escandalizar o nome do Senhor Jesus”.
O Quarto grupo, é formado por aqueles que saem como se fossem “Os Caça Fantasmas”, procurando escândalos, processos, notícias de adultérios, falsas profecias, e todas essas coisas que existem em nosso meio, pegam isso tudo e fazem um “Jogo de Dardos”, pegam o Pastor “A” ou “B”, a Igreja “C” ou “D” e ficam jogando os dardos, jogando, e cada semana tem mais, mais e mais, como se sentissem prazer em fazer aquilo.
Entendo que não devemos ser tão ingênuos com os do primeiro grupo, pensando que isso não acontece em nosso meio evangélico. Não devemos ser tão coniventes e/ou omissos quanto os do terceiro grupo, pensando que podemos “dar uma ajudinha” para Deus. Não podemos ter a atitude do quarto grupo, que não é uma atitude de um salvo na pessoa de Jesus, pois aí estaríamos agindo como uma espécie de “justiceiros”,“vingadores”, estaríamos fazendo uma espécie de Assepsia (conjunto de medidas que permitem manter um ser vivo ou um meio inerte isento de bactérias) na "Igreja", ou qualquer outra coisa.
No meu entender, a forma correta de agir é a do Segundo Grupo, onde seus membros sabem de boa parte do que ocorre no meio evangélico, e, ao invés de sair denegrindo este ou aquele Pastor, esta ou aquela Denominação, oram para que as coisas se esclareçam e que os envolvidos se arrependam, para que retornem a ter Comunhão com o Corpo de Cristo, até pelo fato de que o pecado e a salvação serem individuais, eu tenho de me arrepender de meus pecados para que eu possa ser salvo, através de Jesus.
Não posso viver uma vida hipócrita de apontar e encontrar prazer em mostrar o pecado alheio, esquecendo, muitas vezes, o meu próprio pecado, não é isso que a Bíblia nos ensina, muito pelo contrário, veja 1 Coríntios 10.12: Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair (Nova Tradução na Linguagem de Hoje)
Devemos viver aquilo que pregamos, temos o dever, como Servos do Senhor Jesus, de por em prática, em nossas vidas, tudo aquilo que Jesus nos ensinou, não temos a discricionariedade de escolher, eu obedeço a isso, isso aqui não vou obedecer, eu tenho este comportamento aquele outro não concordo, e assim por diante.
Se pastor “A ou “B” ou se denominação “C” ou “D” teve este ou aquele comportamento, ainda que comprovadamente, não posso desejar “que o mesmo vá queimar no inferno”, que “o inferno está prontinho pra ele”, irmãos, não é isto que devemos ter no coração, pois se agirmos assim não teremos como dizer que amamos nosso semelhante, quem ama seu próximo não pode desejar que o mesmo passe a eternidade no inferno, não posso pregar o amor e ter ódio no coração. Perceba que me utilizei das aspas pelo fato de ter tirado de alguns comentários que proliferaram na blogosfera cristã nos últimos dias.
A Palavra de Deus é clara em 1 João 2.9: Quem afirma estar na luz mas odeia seu irmão, continua nas trevas (Nova Versão Internacional).
Portanto, meus irmãos, na Paz e no Amor de Cristo, vamos orar pelos líderes e pelas denominações que estão passando por esses escândalos, não esqueçamos que devemos lavar nosso coração para que o ódio não venha tomar conta dele, e assim estaremos sempre na luz, que é Cristo Jesus.
Como está escrito em 2 Coríntios 4:13, parte b: (...): Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos. (Almeida Revista e Atualizada).
Fiquem na Paz do Eterno.

Os Escândalos Dentro das Igrejas à Luz da Bíblia.

Os Escândalos Dentro das Igrejas à Luz da Bíblia.

Nos últimos anos têm ocorrido dentro das Igrejas Evangélicas, pelo menos em uma boa parte delas, vários escândalos de toda natureza: sexuais, heresias, desvio de verbas, briga pelo poder e tantos outros que todos nós conhecemos, ou pelo menos deveríamos conhecer.
Estes escândalos levam os membros e congregados a tomarem no mínimo cinco posições com relação aos fatos: I - Apoiar cegamente quem está envolvido no escândalo. II - Se levantar contra os envolvidos no escândalo, apoiando o outro grupo que “ficou fora”. III - Permanecerem em um estado de “isolamento”, sem se envolver diretamente apoiando qualquer dos lados, porém orando para que tudo possa ser resolvido e para que haja real e verdadeiro arrependimento de pecado. IV – Em função do escândalo muda de congregação ou até de denominação, pois não aceita este tipo de erro da parte dos líderes e V – Se desvia do caminho do Senhor Jesus, pois se “decepcionou com o Evangelho”. Perceba que os cinco posicionamentos são autônomos, por essa razão geraram, no mínimo, cinco partidos dentro da igreja.
O Objetivo do presente post não é analisar cada um desses grupos, mas sim analisar Os Escândalos Dentro das Igrejas à Luz da Bíblia, para que ao final o leitor possa tirar suas próprias conclusões. Vejamos.
A Palavra de Deus nos fala em Mateus 18.7: Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual vem o escândalo! (Almeida Revista e Atualizada).
Nesta passagem Jesus Cristo adverte que duro será para quem serve como pedra de tropeço para seu próximo, pois ao introduzir o escândalo no meio da Igreja certamente fará com que alguém, ou muitos, tropecem na fé, isto é um fato, mesmo havendo arrependimento pelo que cometeu, haverá, também, de colher aquilo que semeou.
Em face do escândalo surgirão dentro da Igreja os partidos, aqui é que entra aqueles cinco posicionamentos acima descritos, e, com isto, consequentemente aparecerá dentro da Igreja a divergência.
Salutar é ler o que está escrito em 1 Coríntios 11.19: Pois é necessário que haja divergências entre vocês, para que sejam conhecidos quais dentre vocês são aprovados (Nova Versão Internacional).
Perceba, amado irmão, que Paulo, inspirado pelo Espírito Santo de Deus, nos fala que é necessário que haja divergência entre os irmãos, para que através desse impasse, possamos conhecer quais dos Cristãos são real e verdadeiramente aprovados. É como se fosse uma “peneira”, não para dividir, mas para trazer à tona o que estava em oculto, ver quem são os aprovados.
Quem já teve a experiência de ter um escândalo dentro de sua Igreja ou denominação pode bem falar sobre isso, pois em questão de dias a “Igreja” está toda dividida, cada um está enquadrado em algum daqueles cinco posicionamentos acima citados, aí dá pra ter uma noção de quem realmente segue a Jesus e de quem segue aos homens, quem é fiel a Palavra de Deus e quem é fiel ou simpatizante de uma ideologia ou grupo que representa um “clã” dentro da Igreja ou dentro da denominação.
Perceba que as pessoas farão parte deste ou daquele grupo pelo que ouviram e/ou ouvirão dos envolvidos nos dias subsequentes ao escândalo, ou até mesmo pelo fato de já terem um certo carinho ou admiração por este ou aquele líder.
Perceba, você, que como os escândalos são de todas as naturezas, os envolvidos contam o que querem, muitas vezes mentindo para que um número maior de pessoas esteja sempre do seu lado, manipulando versículos bíblicos para justificar seus atos, suas doutrinas, suas decisões.
Não vamos longe, pregue sobre prosperidade, usando a teologia de forma errada, e você encherá qualquer templo, em qualquer cidade, as ofertas serão astronômicas, e tantas outras coisas que sabemos. Mas pregue sobre a mesma prosperidade, porém como consequência de uma vida de oração, de obediência a Deus, onde se conhece o verdadeiro arrependimento, onde se tem uma vida de santidade, uma vida consagrada que você verá que as pessoas, boa parte, correrão de dentro da Igreja.
Salta aos olhos o texto de Atos 20.30: E dentre vocês mesmos se levantarão homens que torcerão a verdade, a fim de atrair os discípulos (Nova Versão Internacional)que pode ser confrontado com o texto de 1 Timóteo 4.1: Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios (Almeida Revista e Atualizada).
Vejamos o que nos diz 2 Pedro 2.1: Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá ainda falsos mestres, os quais introduzirão heresias destruidoras, negando até ao Senhor que os comprou, trazendo sobre si repentina destruição (Sociedade Bíblica Britânica).
Portanto, amado irmão, é fácil perceber que os escândalos aconteceram e sempre acontecerão dentro da Igreja, muitas vezes estes escândalos ocorrem com uma parcela de culpa dos próprios membros e congregados que por terem em seus corações uma certa afinidade por um tipo de evangelho deturpado se tornam terreno fértil para a proliferação de heresias, estelionato espiritual e toda sorte de coisas que sabemos que existem.
Muitos líderes, que fundam Igrejas em qualquer esquina, foram expulsos de uma denominação pois seus superiores perceberam este desvio de conduta em suas vidas. Ai, seguem seu caminho, com o mesmo desejo errado no coração, criam sua própria denominação e lotam Igrejas, Estádios, Centros de Convenções, etc.
Outros tantos tiveram uma vida inteira de santidade, de comunhão com Deus e, lá pelas tantas, pegaram um atalho, se desviaram do Caminho, e passaram a seguir um evangelho deturpado, que nada tem a ver com o de Jesus.
Vale trazer a o texto de 1 João 2.19: Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós (Almeida Corrigida e Revisada Fiel).
Diante de tudo, entendo que há sim necessidade de existirem escândalos dentro da Igreja, porém cabe a nós estarmos sempre preparados para saber o que fazer na hora em que eles aparecerem, meu conselho é que assim que algo de errado aparecer dentro de sua Igreja, dentro de sua denominação, passe a orar, especificamente, pelos envolvidos, consiga colocar isso para os outros membros e congregados, sem tomar partido, sem tomar as dores de ninguém, confiando em Deus para que os envolvidos possam reconhecer os seus erros e clamar por perdão. Caso não haja nada de errado, ore para que o Espírito de Deus possa ser sempre o condutor das atitudes de seus líderes, desta forma, seremos aprovados por Deus, sempre.
Para concluir trago o texto de Deuteronômio 13.3-4: 3 - não dêem ouvidos às palavras daquele profeta ou sonhador. O Senhor, o seu Deus, está pondo vocês à prova para ver se o amam de todo o coração e de toda a alma. 4 - Sigam somente o Senhor, o seu Deus, e temam a ele somente. Cumpram os seus mandamentos e obedeçam-lhe; sirvam-no e apeguem-se a ele (Nova Versão Internacional).
Como está escrito em 2 Coríntios 4:13, parte b: (...): Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos. (Almeida Revista e Atualizada).
Fiquem na Paz do Eterno.