quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

A verdadeira riqueza - Ano Bíblico / Gênesis capítulo 36


A verdadeira riqueza - Ano Bíblico / Gênesis capítulo 36

Para ler Gênesis cap. 36 clique aqui

Ouça essa mensagem aqui

O que há para se aprender em uma genealogia, com suas centenas de nomes, desconhecidos para a maioria de nós? Um olhar atento ao capítulo, que trata da descendência de Esaú, nos traz um importante ensino: o de que a prosperidade material nem sempre tem haver com fé. Esaú é tido nas escrituras como alguém averso a religião:
"E ninguém seja devasso, ou profano, como Esaú, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura. Hebreus 12:16

Entretanto, mesmo depois de haver perdido seu direito de primogênitura para Jacó, tornou-se um homem rico e muito próspero, a despeito de viver fora dos preceitos divinos. Abandonou seu nome de batismo Esaú para se tornar em Edom. Essse nome por ele adotado significa vermelho. Mas qual o sentido dessa mudança? 
Nos tempos antigos, a cor vermelha estava identificada com o pecado. Diz a Palavra, por meio do profeta Isaías:
"Vinde então, e argüi-me, diz o SENHOR: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejamvermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã." Isaías 1:18 (grifos meus).

Ao que parece, Esaú viveu inteiramente para o pecado, daí o fato dele ser lembrado como alguém devasso e profano. Deus havia lhe dado a montanha de Seir como possessão, mas Esaú voltou-se para os seus projetos, abandonando por completo, ao Senhor.
"E Esaú tomou suas mulheres, e seus filhos, e suas filhas, e todas as almas de sua casa, e seu gado, e todos os seus animais, e todos os seus bens, que havia adquirido na terra de Canaã; e foi para outra terra apartando-se de Jacó, seu irmão; Porque os bens deles eram muitos para habitarem juntos; e a terra de suas peregrinações não os podia sustentar por causa do seu gado. Portanto Esaú habitou na montanha de Seir; Esaú é Edom." Gn 36:6-8

Seu irmão Jacó herdou as promessas de Deus, porém com muitas lutas e aflições. Aliás, toda geração eleita passou por uma série de problemas, até conseguir se estabelecer como nação. Jacó e sua família eram um pequeno povo. E os filhos de Edom tornaram-se poderosos. Todos os seus descendentes foram príncipes e reis. A busca por prosperidade, fez aquela geração chegar aonde poucos conseguem, mas na batalha pela vida, perderam suas próprias almas. Tornaram-se uma geração que, por suas próprias escolhas, estava madura para a destruição:
"Mas no monte Sião haverá livramento, e ele será santo; e os da casa de Jacó possuirão as suas herdades. E a casa de Jacó será fogo, e a casa de José uma chama, e a casa de Esaú palha; e se acenderão contra eles, e os consumirão; e ninguém mais restará da casa de Esaú, porque o SENHOR o falou." Obadias 17-18;

Portanto, ser próspero não é sinal de espiritualidade. Mais do que bens materiais em abundância ou muito dinheiro, o que realmente precisamos, na maioria das vezes, é de paz para dormir. Devemos escolher com sabedoria, o tipo de  conduta que abraçaremos em nosso viver, pois ela aponta para aonde passaremos a eternidade. Certa vez , o Salvador declarou:
"Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração." Mt 6:19-21

Amigo leitor, não devemos permitir que a exagerada busca pelo material se torne um laço no tocante à salvação. Lembre-se sempre: tribulações levam à provação, mas prosperidade sempre leva à tentação. Tiago escreveu:
Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? Tiago 2:5

O Pai Celeste nos convida a olharmos além, para o futuro, aonde está a verdadeira riqueza. Os que são ricos na fé, herdarão todas as coisas. Porém, não em um mundo corrompido e pecaminoso, como aconteceu com a descendência de Esaú, mas sim, num  reino eterno, no porvir. Disse João em Patmos:
"E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente."  Ap 21:10-11

Deus preparou para os salvos uma cidade feita de ouro, nos céus. Ela é um presente Dele, para todo pecador arrependido e transformado pelo poder divino.
Enquanto aqui vivermos, devemos refletir em nossa vida, os valores do reino. Não basta apenas ter diante dos homens  uma boa reputação: mas o que valerá para Deus,  é termos um excelente caráter, que só é possível quando nos permitimos ser moldados pelo Senhor, nas lutas e aflições do dia-a-dia. 
Amigo, a entrada nesse reino é assegurada quando aceitamos o sangue de Jesus, derramado na cruz, em favor de toda a humanidade. Foi Ele quem se entregou por amor, sendo pregado no madeiro, para nos dar a vida eterna. Por meio de Sua morte e ressurreição, somos novas criaturas. 
"Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes {no sangue do Cordeiro} para que tenham direito à arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas." Ap 22:14

Lá, os remidos andarão por ruas de ouro e o pecado  nunca mais existirá. Que sejamos prósperos em amor e bondade, para dessa forma alcançarmos inestimável tesouro, que é estar, um dia,  ao lado do Pai e de Seu filho Jesus.

Assista ao vídeo:

Quero seguir Jesus, mas parece que algo me impede


Quero seguir Jesus, mas parece que algo me impede


Estou compartilhando essa matéria que foi publicada no site www.evangelizacao.blog.br e gostaria muito que os irmãos refletissem sobre essa leitura.

David 


Entregar a vida para Jesus é algo que mudará para sempre as nossas vidas, engana quem pensa que os reflexos dessa decisão serão apenas na eternidade.

Quando aceitamos a proposta de Jesus de ser um de seus seguidores, haverá oposição, isto é fato! Não estranhe se você sentir vergonha, desânimo e uma sensação de que estará perdendo algo. A Bíblia diz que a carne (nossa natureza pecaminosa) milita contra o Espírito e vice-versa. Mas não é só isso, temos um inimigo, Satanás, ele não quer que sigamos a Jesus e fará todo o esforço possível para colocar obstáculos visando impedir sua decisão de servir exclusivamente a Jesus Cristo.


Veja o exemplo do próprio Jesus que durante 40 dias sofreu dura tentação para mudar os planos. Jesus venceu e venceu pelas armas espirituais, devemos seguir o mesmo caminho.

Alguns conselhos para aqueles que querem seguir Jesus, mas parece que algo os impede.

A força que você precisa vem de Deus e não de você. Creio nisso e espere em Deus.

Ore e busque com confiança que Deus é justo para lhe ajudar.

Esforça-te. Não espere Deus fazer aquilo que você pode fazer. Ir ao culto, orar, jejuar, ler a Bíblia e afastar-se do pecado são responsabilidades nossa e não de Deus.

Procure estar ao lado de pessoas sérias e comprometidas com a palavra de Deus. Esqueça as conversas vãs.
 
Converse com o pastor da igreja onde quer congregar, apresente suas dificuldades, dúvidas e peça ajuda. A igreja tem a obrigação de ajudar os necessitados, materiais e espirituais também.

A oração é uma arma poderosa, não para mudar Deus, mas para mudar nós mesmos diante de dele.

Sei que não existe nenhum passo-a-passo para ser vencedor, mas sei que aquele que te chamou é maior que aquele que te impede.

O Preço da Restauração


O Preço da Restauração  

Levítico 14:57 - Para ensinar quando alguma coisa será imunda, e quando será limpa. Esta é a lei da lepra. 

A fim de ter certeza de que os israelitas seriam muito cuidadosos ao tratar da lepra, o Senhor classificou a doença como praga. De modo que, no livro de Levítico, todo o Capítulo 14 explicita a maneira como um hanseniano deveria ser abordado, caso viesse a ser restaurado na sua saúde. No final do capítulo afirma-se: “Para ensinar em que dia alguma coisa será imunda e em que dia será limpa. Esta é a lei da lepra” (Levítico 14:57).

Um dos mais sérios problemas de saúde pública é a da tuberculose. Principalmente porque o tratamento, sendo longo, muitas vezes é abandonado antes da cura. Não sendo tratada completamente, a doença volta e leva ao óbito. Tudo isso para se dizer que nenhum tratamento deve ser feito pela metade. Mero tratamento talvez seja mais perigoso do que nenhum tratamento.

A lepra do corpo pode nos conduzir ao problema da doença da alma. Há até aqueles que consideram a enfermidade espiritual uma questão de maior periculosidade. De qualquer modo, todos concordam que nem corpo nem alma podem se beneficiar do chamado tratamento pela metade. Jesus foi bem claro: “Aquele que vier a Mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me”. Seguir a Cristo é como a restauração da lepra: “um dia alguma coisa será imunda e um dia será limpa”. O preço da restauração é a atitude completa e definida da entrega ao Senhor. Em um dia marcado com uma postura constante.