sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 20011 que Deus te abençoe.fortemente....seja tambem um seguidor deste blog....

AGIR OU ESPERAR? Existe uma batalha espiritual sendo travada nas regiões celestiais (Efésios 6.10-18) e o resultado dessa guerra reflete-se na vida das pessoas aqui na terra. Três grandes exércitos estão envolvidos nessa batalha: O regimento do Inferno composto por demônios, o exército de anjos celestiais e a multidão de crentes em toda terra. Os dois primeiros digladiam entre si e o terceiro movimenta a guerra por meio das intercessões e suplicas. O objetivo da batalha é a conquista do coração humano e o domínio do que acontece sobre a terra. Satanás impele o seu exército com o propósito de dominar a mente humana e infringir destruição (João 10.10) enquanto os anjos são enviados de Deus para defender aqueles que O temem (Salmo 34.7). O homem intercede! Em Daniel 6.13 aponta que Daniel orava três vezes ao dia enquanto a batalha espiritual era travada nas regiões celestiais. No verso 22 o anjo do Senhor traz livramento a Daniel. Ele orava três vezes ao dia! Jesus ordenou aos cristãos que vivessem em continua oração e vigilância (Mateus 26.41). Todo esse contexto indica que a postura vencedora nas coisas que acontecem em sua vida está diretamente ligada à sua conduta quanto a oração. Você está plenamente satisfeito com tudo que está acontecendo? Existem coisas em casa, no trabalho, na igreja ou acontecendo com pessoas que você ama e que você tem certeza de que essas coisas não são boas? Existem coisas que precisam mudar? Qual a tua postura com relação a oração? Você gasta tempo orando? Infelizmente, muitas pessoas estão entregues ao “destino”, ou seja, estão esperando para ver o que acontece. Alguns se acomodam e pedem para outros orarem, mas nada substitui a sua oração. Paulo ordena que os cristãos orem sempre e em todo tempo e lugar (Efésios 6.18). Ele diz de uma postura mental de oração. Isso significa condicionar a mente em meditar e pensar em Deus buscando seu auxilio e favor. Não adianta ficar chorando pelos cantos e lamentando com todo mundo que você encontra: As pessoas não são o seu chapolin colorado. Você precisa de Deus! Precisa se posicionar como guerreiro na batalha espiritual e despertar a fé no seu coração de que para Deus nada é impossível (Lucas 1.37) e o que é impossível para os homens passa a ser possível para aquele que crê (Marcos 9.23). Então, vai ficar aí parado ou vai orar?

AGIR OU ESPERAR?
         Existe uma batalha espiritual sendo travada nas regiões celestiais (Efésios 6.10-18) e o resultado dessa guerra reflete-se na vida das pessoas aqui na terra. Três grandes exércitos estão envolvidos nessa batalha: O regimento do Inferno composto por demônios, o exército de anjos celestiais e a multidão de crentes em toda terra. Os dois primeiros digladiam entre si e o terceiro movimenta a guerra por meio das intercessões e suplicas. O objetivo da batalha é a conquista do coração humano e o domínio do que acontece sobre a terra. Satanás impele o seu exército com o propósito de dominar a mente humana e infringir destruição (João 10.10) enquanto os anjos são enviados de Deus para defender aqueles que O temem (Salmo 34.7). O homem intercede!
         Em Daniel 6.13 aponta que Daniel orava três vezes ao dia enquanto a batalha espiritual era travada nas regiões celestiais. No verso 22 o anjo do Senhor traz livramento a Daniel. Ele orava três vezes ao dia! Jesus ordenou aos cristãos que vivessem em continua oração e vigilância (Mateus 26.41).
         Todo esse contexto indica que a postura vencedora nas coisas que acontecem em sua vida está diretamente ligada à sua conduta quanto a oração. Você está plenamente satisfeito com tudo que está acontecendo? Existem coisas em casa, no trabalho, na igreja ou acontecendo com pessoas que você ama e que você tem certeza de que essas coisas não são boas? Existem coisas que precisam mudar?
         Qual a tua postura com relação a oração? Você gasta tempo orando?
         Infelizmente, muitas pessoas estão entregues ao “destino”, ou seja, estão esperando para ver o que acontece. Alguns se acomodam e pedem para outros orarem, mas nada substitui a sua oração. Paulo ordena que os cristãos orem sempre e em todo tempo e lugar (Efésios 6.18). Ele diz de uma postura mental de oração. Isso significa condicionar a mente em meditar e pensar em Deus buscando seu auxilio e favor.
         Não adianta ficar chorando pelos cantos e lamentando com todo mundo que você encontra: As pessoas não são o seu chapolin colorado. Você precisa de Deus! Precisa se posicionar como guerreiro na batalha espiritual e despertar a fé no seu coração de que para Deus nada é impossível (Lucas 1.37) e o que é impossível para os homens passa a ser possível para aquele que crê (Marcos 9.23).
         Então, vai ficar aí parado ou vai orar?

A CEIA E O VERBO DIVINO - Texto em Mateus 11.28 e Marcos 16.15 A celebração da Santa Ceia do Senhor cumpre dois propósitos: Serve como um marco histórico e cerimonial da morte e volta de Cristo e expressa o beneficio de uma causa e o comprometimento dos crentes com essa causa. A Causa é: Salvar o que está perdido. “O Filho do homem veio para salvar o que se havia perdido”. Mateus 18.11 Todas as pessoas estão perdidas e separadas de Deus (Romanos 3.23). Perguntas para discussão no grupo: O que significa estar perdido? O que conduz alguém a perdição? Quais são os sentimentos da pessoa que está perdida? Todos que não conhecem a Jesus sabem que estão perdidos? Quando você estava perdido sabia que estava perdido? A causa é expressa pelo ver “IR”. Ela se expressa em duas conjugações diferentes de tempo desse verbo. Quando conjugado na forma de “venham” é um convite para ser beneficiado gratuitamente com o perdão de seus pecados e, conseqüente, salvação de sua alma; porém, quando conjugado na forma de “Vão” é uma ordem para o comprometimento com a salvação de outras pessoas. Jesus convida a todos para o beneficio da salvação, e aqueles que aceitam o convite são salvos: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso”. Mateus 11.28 É o benefício do alívio das culpas, dos medos, dos traumas ocasionados pelo pecado na vida temporal e da condenação eterna. Jesus ordena o comprometimento dos salvos com a salvação dos não salvos: “Vão pelo mundo todo e preguem o Evangelho a todas as pessoas”. Marcos 16.15 É o compromisso com missões em todos os sentidos e lugares. Perguntas para discussão no grupo: Quem aqui neste grupo pode dizer que já foi beneficiado por ‘vir’ a Jesus e estão comprometidos com o ‘ir’ por Jesus? Qual a diferença entre ‘vir’ e ‘ir’ no campo das emoções e sentimentos? Qual a diferença de comportamento entre o ‘vir’ e o ‘ir’? Quem pode contar a sua experiência de beneficio quando veio a Jesus? E quem pode compartilhar sobre a sua experiência de comprometimento a causa quando foi por Jesus? Ninguém deve ‘ir’ sem ter ‘vindo’ antes e ninguém deve ‘vir’ sem estar disposto a ‘ir’. O nosso envolvimento com a causa (Qual é mesmo a causa?) é composto por beneficio e comprometimento. Vir a Jesus e não comprometer-se com a sua causa gera uma vida cristã vazia, sem propósito e com mau testemunho. Todavia, ir por Jesus sem vir e permanecer nele gera um cansaço e peso insustentável por um tempo prolongado. Perguntas para discussão no grupo: Quais são os efeitos na vida daquela pessoa que vem a Cristo, mas não se compromete a ir por Cristo? Em contrapartida como fica a pessoa que deseja ir, todavia não vem ou vem, mas não permanece em Cristo? Quais são os sinais de uma situação e da outra? Alguém já experimentou a sensação de servir a Deus como um fardo pesado e difícil de suportar? Você sabe a diferença entre ser beneficiado e estar comprometido? Portanto, o plano perfeito de Deus que é a causa de Jesus (veio salvar quem estava perdido) gera um beneficio e produz um comprometimento. Somos convidados a uma coisa e ordenados à outra!

A CEIA E O VERBO DIVINO - Texto em Mateus 11.28 e Marcos 16.15
A celebração da Santa Ceia do Senhor cumpre dois propósitos: Serve como um marco histórico e cerimonial da morte e volta de Cristo e expressa o beneficio de uma causa e o comprometimento dos crentes com essa causa. A Causa é: Salvar o que está perdido. 
“O Filho do homem veio para salvar o que se havia perdido”. Mateus 18.11
Todas as pessoas estão perdidas e separadas de Deus (Romanos 3.23).
Perguntas para discussão no grupo: O que significa estar perdido? O que conduz alguém a perdição? Quais são os sentimentos da pessoa que está perdida? Todos que não conhecem a Jesus sabem que estão perdidos? Quando você estava perdido sabia que estava perdido?
A causa é expressa pelo ver “IR”. Ela se expressa em duas conjugações diferentes de tempo desse verbo. Quando conjugado na forma de “venham” é um convite para ser beneficiado gratuitamente com o perdão de seus pecados e, conseqüente, salvação de sua alma; porém, quando conjugado na forma de “Vão” é uma ordem para o comprometimento com a salvação de outras pessoas.
Jesus convida a todos para o beneficio da salvação, e aqueles que aceitam o convite são salvos:
“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso”. Mateus 11.28
É o benefício do alívio das culpas, dos medos, dos traumas ocasionados pelo pecado na vida temporal e da condenação eterna.
Jesus ordena o comprometimento dos salvos com a salvação dos não salvos:
“Vão pelo mundo todo e preguem o Evangelho a todas as pessoas”. Marcos 16.15
É o compromisso com missões em todos os sentidos e lugares.
Perguntas para discussão no grupo: Quem aqui neste grupo pode dizer que já foi beneficiado por ‘vir’ a Jesus e estão comprometidos com o ‘ir’ por Jesus? Qual a diferença entre ‘vir’ e ‘ir’ no campo das emoções e sentimentos? Qual a diferença de comportamento entre o ‘vir’ e o ‘ir’? Quem pode contar a sua experiência de beneficio quando veio a Jesus? E quem pode compartilhar sobre a sua experiência de comprometimento a causa quando foi por Jesus?
Ninguém deve ‘ir’ sem ter ‘vindo’ antes e ninguém deve ‘vir’ sem estar disposto a ‘ir’. O nosso envolvimento com a causa (Qual é mesmo a causa?) é composto por beneficio e comprometimento. Vir a Jesus e não comprometer-se com a sua causa gera uma vida cristã vazia, sem propósito e com mau testemunho. Todavia, ir por Jesus sem vir e permanecer nele gera um cansaço e peso insustentável por um tempo prolongado.
Perguntas para discussão no grupo: Quais são os efeitos na vida daquela pessoa que vem a Cristo, mas não se compromete a ir por Cristo? Em contrapartida como fica a pessoa que deseja ir, todavia não vem ou vem, mas não permanece em Cristo? Quais são os sinais de uma situação e da outra? Alguém já experimentou a sensação de servir a Deus como um fardo pesado e difícil de suportar? Você sabe a diferença entre ser beneficiado e estar comprometido?
Portanto, o plano perfeito de Deus que é a causa de Jesus (veio salvar quem estava perdido) gera um beneficio e produz um comprometimento. Somos convidados a uma coisa e ordenados à outra!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A ESPERANÇA NA ANGUSTIA

Esperança na angústia

"O texto para a mensagem de hoje está registrado em I Pedro 1: 3 a 7: "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros, que sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para salvação preparada para revelar-se no último tempo. Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações, para que o valor da vossa fé, uma vez confirmado, muito mais precioso do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo..."

O tema central do texto é a esperança cristã, como a herança maravilhosa que Deus entrega a seus filhos nesta terra. Este texto foi escrito por Pedro, no primeiro século de nossa era, para um grupo de pessoas que eram novas na fé. Mas as lições são valiosas para os cristãos de todos os tempos indistintamente de quão novos ou velhos sejam na experiência cristã.

Outro dia procurou-me um senhor, de uns cinqüenta anos, embora seu rosto aparentasse muito mais. Seu olhar sombrio refletia o vulcão de sentimentos pessimistas que aprisionavam seu coração. "Ajude-me, Pastor", disse com voz cansada, "gostaria que a vida tivesse sentido e não fosse aquela avalanche de dias incertos, vazios e desesperantes."

Ah, meu amigo, todos gostaríamos que a vida tivesse sentido, que valesse a pena acordar, ver o sol e abraçar desafios. Mas o que fazer, se a vida parece sempre uma rotina massacrante? Aonde ir quando perdemos a motivação de viver e tudo nos parece sombrio e sem graça?

O texto de hoje nos fala de esperança, mas entenda bem, esperança cristã não significa apenas um tipo de expectativa com relação ao futuro. Ela é o ingrediente que dá sentido a nossa vida presente. É ela que tira, de nossos dias rotineiros, as sombras da incerteza e deixa brilhar o sol da alegria. Fazer da esperança apenas uma possibilidade futura é torná-la simplesmente um desejo ou anseio ou espectativa, mas não, a certeza de algo real.

Por exemplo, quando um garoto diz: "Gostaria de ganhar uma bicicleta no natal", ele pode estar querendo dizer: "Acho que existe a possibilidade de que meu pai me compre uma bicicleta." Poderia, também, estar dizendo: "Não existe muita chance de que meu pai consiga o dinheiro suficiente para comprar-me uma bicicleta." Você percebe? Isso é desejo, espectativa ou anseio, mas a esperança cristã é muito mais do que isso.

Ela é a certeza de que Deus tem um lugar preparado para nós, quando a história deste mundo chegar a seu final, mas também é a certeza de que ele está presente em nossa vida, hoje, agora, aqui onde estamos, dando sentido à vida e trazendo plenitude e paz ao coração, embora tudo pareça escuro e a vida esteja rodeada por uma montanha de dificuldades.

Isto nos leva à conclusão de que a esperança está intimamente relacionada com a fé. É isso que Pedro afirma no verso cinco: "...sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé..." (I Pedro 1:5)

É impossível para uma pessoa que não tem fé, poder ter esperança. A fé é o que gera a esperança. E fé, meu amigo, é confiança em Deus. Mas para poder confiar em alguém, você precisa conhecer esse alguém. Para conhecer é necessário conviver com essa pessoa. Você não poderá nunca exercitar a fé se não for a Jesus do jeito que estiver, levando a Ele suas dúvidas e incredulidades. Ele é o autor da fé. Você precisa ir a Ele e cair aos Seus pés depondo seu racionalismo, seu agnosticismo, seu humanismo ou secularismo.

Não é capaz de crer? Vá a Ele. Você sabe que precisa de Jesus, mas sente que tem o coração de pedra? Vá a Ele, como o pai daquele menino endemoninhado que um dia foi a Jesus e clamou: "... Ajuda-me na minha falta de fé." (Marcos 9:24)

Sabe o que ele estava querendo dizer? Senhor, meu jeito de crer é imperfeito, sou duro, tenho perdido a fé em tudo, mas preciso de Ti porque está tudo confuso na minha vida. Meu coração está vazio, meu lar está caindo aos pedaços, meus negócios estão indo à falência, não posso relacionar-me bem com as pessoas, estou sozinho, preciso de Ti, ajuda-me na minha incredulidade.

Ah, meu amigo, só a fé nos ajudará a manter viva a chama da esperança quando tudo parece escuro em nossa vida. E olhe para sua volta. Assista os noticiários na TV ou leia os jornais. Não está tudo saturado de miséria, tristeza, desonestidade e violência? Às vezes, você não sente-se inseguro e pergunta-se: "Para onde vai este mundo? Não sente-se revoltado quando a injustiça vence a justiça? Bom, aqui é onde aparece o valor da esperança porque ela cria em você a certeza de que, apesar do mundo estar sendo consumido pelas chamas da loucura humana, você está seguro nos braços de Jesus. Não importa o que suceda hoje ou amanhã, Deus está cuidando de você. Isso é a esperança cristã.

Corrie Ten Boom, foi uma jovem cristã desconhecida para muitos, mas com certeza, seu nome está registrado nos livros da vida eterna. Veja o que ela escreveu na cela imunda de um campo de concentração nazista, durante a segunda guerra mundial. "O tempo aqui é um desafio. Às vezes surpreende-me o fato de eu aceitar tudo isto tão bem. Seguramente nunca me acostumarei a esta situação, mas em geral, estou feliz... Às vezes tudo parece escuro, mas o Senhor me provê Sua luz e isso é muito bom."

Isto não combina com o que o apóstolo Paulo escreveu aos cristãos de Roma quando estavam sendo perseguidos? Veja, Romanos 8:38 e 39: "Porque eu estou bem certo de que nem morte, nem vida, nem anjos, nem principados, nem cousas do presente, nem do porvir nem poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."

Outro aspecto do texto de hoje tem a ver com a esperança, como herança de Deus para seus filhos. Isso está no verso 4: "...para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros..." (I Pedro 1:4)

Esta herança, obviamente, é a salvação. No verso 9, Pedro fala da salvação da alma, referindo-se ao ser humano completo. Salvação, meu querido, é a libertação divina do poder do pecado e da autodestruição, colocando-nos num relacionamento correto com Deus. Este trabalho divino, afeta positivamente todas as áreas de nossa vida: saúde, família, trabalho, vida social, enfim...

Quer dizer, quando Deus o abençoa com a Sua salvação, sua saúde deve melhorar porque você passará a respeitar os princípios presevadores da vida, sua família deve ser mais feliz porque agora o amor de Jesus transborda seu coração, sua vida profissional deve ser mais produtiva, porque não é mais somente o dinheiro a sua motivação. Você entende? Só que todos os benefícios que você pode receber nos diferentes aspectos da vida, são apenas um "adiantamento" da verdadeira herança que você receberá no final da história humana. Ah! o que Deus tem reservado para você são coisas que "Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano, o que Deus tem preparado para aqueles que o amam." (I Coríntios 2:9)

Não é maravilhoso? Eu sei que é difícil para os seres humanos compreenderem o valor do que realmente nos aguarda. São Pedro usa, no verso 4, três palavras para referir-se ao tipo de vida que viveremos ao lado de Jesus: incorruptível, sem mácula e que nunca murchará. O pecado nunca mais terá poder para escravizá-lo, derrotá-lo ou humilhá-lo e você poderá respirar, a plenos pulmões, a liberdade que o Senhor lhe dará como herança. E o melhor de tudo isso, é que você nunca murchará, ou seja, não terá nunca mais aquela preocupação desesperada para não envelhecer, não mais bisturís, nem cremes, nem óleos. Não haverá mais dor, nem velhice, nem solidão. Você e Jesus vivendo eternamente.

O apóstolo Pedro termina enfatizando que a esperança cristã concede aos filhos de Deus a certeza da proteção divina. Ele afirma no verso 5 que: "... sois guardados no poder de Deus..." (I Pedro 1:5)

Agora, por favor, não entenda mal esta promessa. Proteção divina significa que você nunca estará só em nenhuma circunstância da vida, por mais adversa que ela seja. Jesus sempre estará com você. Proteção divina não significa isenção da dor e do sofrimento. Pedro deixa isso bem claro quando afirma no verso 6: "...embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações." (I Pedro 1:6)

Proteção divina, significa que o poder divino estará sempre ao seu alcance de modo que você terá o valor e a coragem necessária para continuar sendo um filho de Deus em qualquer circunstância. Existe muita diferença entre dizer: "Um dia o Senhor me livrará de todas as dificuldades", e dizer: "Eu sei que o Senhor está comigo apesar das dificuldades". Esperança cristã não é somente espectativa futura. É, em primeiro lugar, e acima de tudo, realidade presente da proteção divina. Mas esta proteção não significa necessáriamente que não seremos atingidos pela dor. Claro que Deus não é o autor da tristeza e do sofrimento, mas essa é a realidade da vida humana num mundo imperfeito depois da entrada do pecado. Só que a promessa é que Deus não abandonará você quando a dor chegar. Ele estará ao seu lado enquanto atravessar o "vale da sombra e da morte."

Lembre-se que a primeira epístola de Pedro foi escrita num tempo em que os cristãos estavam sofrendo por amor a Jesus. Naqueles dias, existiam muitos tipos de punições para os que seguiam a Jesus. Entre elas, estava a pena de morte. Quando Pedro escreveu sua primeira epístola, seguir a Cristo significava ter a vida por um fio. Os cristãos daquele tempo viviam na encruzilhada da vida e da morte. Todas as pessoas eram obrigadas a curvarem-se diante da estátua do Imperador de Roma e dizer: "César é o Senhor". Só que esta declaração siginificava negar ao Senhor Jesus Cristo e a punição para aquele que ousasse rejeitar a adoração ao Imperador, era a morte.

Por esse motivo é que Pedro enfatiza a idéia de que a proteção divina significa que Deus não abandona Seus filhos na hora da decisão e da dor. Talvez você possa compreender isto, se por algum motivo neste momento está tendo dificuldades para seguir a Jesus.

Outro dia, conversei com uma senhora, cujo marido tinha ameaçado expulsá-la de sua casa, se ela se batizasse. É esse o seu caso? Perdeu o emprego por causa de Cristo? Seus amigos o abandonaram? Seus familiares não querem mais saber de você? Bom, então talvez você compreenda como estavam sentindo-se os primeiros cristãos quando Pedro lhes escreveu a sua primeira carta.

Nesta primeira carta, o apóstolo Pedro vai mais longe. Ele afirma no verso 6 que devemos alegrar-nos quando a provação chegar. Por que? Ele responde no verso 7: "Para que o valor da vossa fé, uma vez confirmado, muito mais precioso do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo." (I Pedro 1:7)

Vê? Não se desespere quando o sofrimento chegar. Ele é como o fogo que refina o ouro e quando tudo passar, sua fé estará mais madura e tudo terá sido para a glória de Deus.

Você está atravessando um momento difícil em sua vida? Sente que suas forças estão se esgotando e que você não conseguirá resistir por muito mais tempo? Lembre-se da promessa de hoje. Deus finalmente expulsará a dor e o sofrimento de sua vida. Mas enquanto esse dia não chegar, você não está sozinho. Jesus está aí com você. Seu sofrimento tem sentido, porque finalmente você sairá mais maduro dessa situação.

A esperança do cristão não significa somente que você viverá num mar de rosas um dia, não. Ela tem que ver com você hoje. Ela trabalha em meio da humanidade e infelizmente, a dor e o sofrimento, são parte da humanidade. A esperança do cristão tem que ver com a vida. Não existe nada melhor que a esperança para dar sentido à vida. Deus nos deu a vida quando nos criou e quando no Calvário, a morte pareceu ter vencido, o Pai nos deu a ressurreição na vida de Seu Filho. Quer dizer, Ele tirou daquele cadáver aprisionado pela tumba a luz da esperança, Ele transformou aquela humilhação em glória, aquela agonia em forças renovadas.

Por isso, Deus é o fundamento da nossa esperança. E você, meu amigo, pode sair neste momento das sombras do temor e do pessimismo para um novo dia ao lado de Jesus. Abra seu coração a Ele agora.

ORAÇÃO

Querido Pai, obrigado pela vida, pela dor e pelo sofrimento. Obrigado porque é na dor que a fé se purifica e faz-se mais robusta. Neste momento, muitos estão sofrendo, dá-lhes a certeza de Tua presença. Se é Tua vontade, liberta-os da dor, mas acima de tudo, liberta-os do medo, do pessimismo e dá-lhes a esperança que pode transformá-los. Em nome de Jesus, amém.

 Obrigado porque é na dor que a fé se purifica e faz-se mais robusta. Neste momento, muitos estão sofrendo, dá-lhes a certeza de Tua presença. Se é Tua vontade, liberta-os da dor, mas acima de tudo, liberta-os do medo, do pessimismo e dá-lhes a esperança que pode transformá-los. Em nome de Jesus, amém.