quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

VENTOS DE DOUTRINA QUE PASSAM


VENTOS DE DOUTRINA QUE PASSAM

No limiar dos cem anos de aniversário da Assembléia de Deus, pude contemplar nesses 46 anos que tenho de vida e de Assembléia não poucos ventos de doutrina que passaram, e outros que ainda permeiam não só nossa Igreja, mas o meio chamado evangélico. Dos quais gostaríamos de analisar e comentar. 
No naufragar da idade moderna, inicio da pós moderna que foi a década de 60 presenciamos a onda do sectarismo e do radicalismo, onde tudo era pecado-assistir televisão, cuspir, beber coca-cola, passear, usar tênis e jens e outras proibições esdrúxulas que não convém citar aqui. Era a onda do taliban religioso em muitas Igrejas pentecostais.Neste mesmo tempo presenciamos a onda da apologia que se fazia a ignorância, proibindo o estudo teológico e outros estudos seculares.
Depois veio a onda dos arrebatamentos(70-80)- fui no céu vi um velhinho de barba branca e roupas cumpridas, vi Jesus, vi Deus, vi Espírito Santo. Vi meu avó, vi o saudoso pastor fulano de tal, mas fui ao inferno também e lá vi saia rachada, cabelo, presília, arco de cabelo, tv, paletó rachado e tinta de cabelo. Quem lembra dessa época? Foi uma onda que passou.
Depois veio a onda das revelações(80-90) 150 profecias e 200 revelações numa vigília de uma congregação com 50 pessoas num único culto. Muitas dessas relevações se converteram em piadas até hoje.Era a banalização da profecia. Um Pastor Presidente chegou a comentar comigo que tinha um movimento desse em sua Igreja que atraía milhares de pessoas e que ele mesmo não concordava com o estilo da vigília, nem ele frequentava, mas não movia uma palha para fazer parar.
Depois veio a onda do terrorismo escatológico em que tudo era rotulado de anti-cristo. O 666 estava na testa de Michael Gorbachov, na barba do Lula, na bota da Xuxa, na embalagem dos alimentos. Alguns entravam no Mercado até com medo do que iam comprar. Essa onda passou. 
Depois veio a onda do dente de ouro, já passou.
Depois veio a onda do cair na unção, regressão, quebra de maldição, adoração a anjos, anjo Muriel, anjo Rafael, anjo Salatiel, cadeira reservada para anjos e outras crendices como suco do céu com sabor de morango. Essa onda não conseguiu entrar em nossa Igreja, com exceção de meia-dúzia de pastores, mas depois se envolveram também em escândalos como peculato, lavagem de dinheiro,penhora de templos, sanguessuga e divorcio na familia. Essa onda também já está saindo de moda.
Agora estamos vivendo a onda da teologia da prosperidade, com venda de unção por 900 reais. Ofertas proféticas de mil reais. Curandeirismo em detrimento da pregação do evangelho que é a verdadeira profecia e a introdução de liturgias do candomblé em cultos pentecostais como vomitar cobra, engolir cobra, fumar dentro do templo para nunca mias fumar. Colar o pé no chão. Colar as mãos. Dança em círculo no ritmo da candomblé, roda pião, aviãozinho, imitar animais, engatinhar no púlpito imitando gato, leão, cordeiro. Isso aconteceu recentemente com uma cantora gospel famosa. Retorcer o corpo como se estivesse fugindo de bala, caratê, metralhadora e gargalhada e muitas outros trejeitos do neopentecostalismo hodierno.
Outra onda perigosa que quer entrar é o endeusamento dos líderes religiosos, ícones dos movimentos pentecostais. O endeusamento de Pastores ricos e famosos e consumistas em detrimento da piedade e da simplicidade que é característica inalienável do evangelho da cruz do Senhor Jesus. 
A unica coisa coisa que não é moda, nem onda, nem vento e´o evangelho puro do Senhor Jesus, isso não vai passar. Jesus disse: passarão os céus e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar. Todas essas crendices passaram, outras passarão, mas o evangelho simples que a Assembléia de Deus abraçou foi a causa de se tornar uma denominação respeitada no mundo. A virtude do evangelho que sempre pregamos que transforma um homem degradado em uma nova criatura é a base que deve nortear o destino de uma verdadeira Igreja.



Pr. Jesiel Padilha

Nenhum comentário:

Postar um comentário